Artigoteca

Virou Lei!

   AGRESSÃO
   O governador Pedro Taques sancionou a Lei 10.473, de autoria do deputado Sebastião Rezende (PSC), que institui a “Política de Prevenção à Violência contra Profissionais da Educação da Rede de Ensino do Estado de Mato Grosso”.
Conforme a Lei, ficam instituídas normas para promover a segurança e proteção dos profissionais da educação em Mato Grosso, no exercício de suas atividades laborais, englobando os docentes, os que oferecem suporte pedagógico direto no exercício da docência, os dirigentes ou administradores das instituições de ensino, os inspetores de alunos, supervisores, orientadores educacionais e coordenadores pedagógicos.
   A proposta do parlamentar é que as instituições de ensino de Mato Grosso estimulem docentes e alunos, famílias e comunidade para a promoção de atividades de reflexão e análise da violência contra os profissionais do ensino; adotem medidas preventivas e corretivas para situações em que profissionais do ensino, em decorrência de suas funções, sejam vítimas de violência ou corram riscos quanto à sua integridade física ou moral; estabelecer, em parceria com a comunidade escolar, normas de segurança e proteção de seus educadores como parte integrante de sua proposta pedagógica; incentivar os alunos a participarem das decisões disciplinares da instituição sobre segurança e proteção dos profissionais do ensino; e demonstrar à comunidade que o respeito aos educadores é indispensável ao pleno desenvolvimento da pessoa dos educandos.
   A lei prevê determina que as medidas de segurança, de proteção e prevenção de atos de violência e constrangimento aos educadores incluam campanhas educativas na comunidade escolar e na comunidade geral; afastamento temporário do infrator conforme a gravidade do ato praticado; e transferência do infrator para outra escola a juízo das autoridades educacionais.
   Caso comprovado o ato de violência contra o profissional do ensino , tendo dano material, físico ou moral, responderão solidariamente a família do ofensor, se menor, o ofensor e a instituição de ensino. O profissional de ensino ofendido ou em risco de ofensa poderá procurar a direção da instituição de ensino e postular providências corretivas.
Texto: Educarte
Fonte: Só Escola
Anúncios
Calendário · datas comemorativas

Calendário de Março 2018

Olá…

   Quer saber as datas comemorativas do mês de março?

    Bom pra quem gosta de trabalhar datas comemorativas com os alunos é interessante que saibam todas as datas que são comemoradas no mês.

   Mas uma dica, trabalhem somente com as pertinentes… ( Claro que não vão trabalhar dia do sogro com as crianças não é mesmo?)

   E eu sou totalmente à favor que os professores, devem pesquisar e se “saciar” de informações sejam auditivas, visuais, olfativas, gustativas e táteis, todas experiências de uma forma ou de outra se torna conhecimento. Fica a dica!

calendario de março

Fonte:calendário de datas comemorativas

Abraços

&

BeiJinhos da Lau

Série: Adaptação Escolar

1ª Reunião de Pais do Ano – 2018

Olá…

Preparados(as) para a primeira reunião de pais?

   … é muito engraçado esse momento se puderem filmar os pais novatos, depois na última reunião façam outra filmagem e comparem o que um bom trabalho e transparência fazem! Fica a dica.

    Mas voltando… o que falar na primeira reunião de pais para os pais dos alunos ingressantes e dos que não são?

  •    Primeira coisa, façam uma separação das Reuniões por módulo, as turmas novas escolham sempre os primeiros horários, porque são pais que estão ansiosos e na expectativa do início de seus filhos. Acalme-os!

cronograma pais novatos

  • Uma dica muito importante para esta reunião, sejam totalmente claros e objetivos, quanto ao que querem, com essa atitude os pais se sentiram mais seguros e confiantes com o trabalho da unidade e a equipe.
  • Abra um tempinho para perguntas e dúvidas, caso seja algo que possa requerer maior tempo, combine uma reunião individual, mas que seja informal, lembre-se clareza e confiança.

Espero ter ajudado,

Dúvidas?!?! Me manda uma email!

Abraços

&

BeiJinhos da Lau

Papo Sério

Autorias

PTDC0464Olá…

   Senti a necessidade de escrever sobre um tema em questão “Autorias” depois que vi um vídeo no facebook de uma professora que teve seu trabalho “pego”… daí vocês podem estar se perguntando, mas se ela postou na internet, qualquer um pode pegar? Pode! O problema é esta em reproduzir e não dar crédito à quem fez.

   No caso dessa professora ( bem conhecida no facebook) o site MEGA POPULAR voltado para profissionais da educação com milhares de acesso fez essa “pequena cortesia”… muito triste isso, não?

   Mas onde quero chegar com essa história toda, não sei se já repararam, mas neste blog que faço com muito carinho utilizo textos que estudo ou que já estudei, fotos pessoais, imagens de internet e procuro colocar a fonte e dar o crédito a que o fez ou de onde tirei. Isso é respeitar o trabalho do outro e dizer, “Puxa que legal… o que você escreveu, a atividade que fez? Vou compartilhar, mas tenho que dizer que não é meu!”

   Muitos textos que escrevo são autorais, algumas imagens também e da mesma forma que tenho respeito colocando a fonte de onde tirei como crédito, peço que façam o mesmo com meus textos ou artigos postados aqui.

   Então fiquem à vontade, divulguem, compartilhem a página se agradarem, pois quem escreve é uma pedagoga, eterna professora e estudante, apaixonada pela educação, curiosa, com muitas experiências para dividir e conhecer.

Abraços

&

BeiJinhos da Lau

dica · Evento · exposição · Passeio Cultural

Última CHANCE…


Horários
10h-21h ter a sáb
09h-19h dom e feriados

A bilheteria abre 30 min antes da visitação.
Permanência até 1h após o último horário. A experiência “Renato Russo 360º” também se encerra 1h após o último horário.

É proibida a entrada com bolsas maiores que 25cmx30cm e mochilas.

INGRESSOS

Bilheteria MIS
R$12 (inteira), R$6 (meia); terças gratuitas.

Crianças até 5 anos não pagam.

Os bilhetes começam a ser vendidos/retirados a partir da abertura da bilheteria. O número de ingressos por dia é limitado e está sujeito à disponibilidade.
Ingressos antecipados online
R$30 (inteira), R$15 (meia)

Os ingressos são com horário marcado, de uma em uma hora.
O acesso à exposição é liberado de hora em hora, também em número limitado.

LOCAL:

Endereço: MIS -Museu da Imagem e do Som

Avenida Europa, 158,

Jardim Europa, São Paulo

(11) 2117 4777
Poste sua foto na exposição com a hashtag #renatorussonomis

Bom final de semana!

Abraços

&

BeiJinhos da Lau

Artigo · Texto

O Histórico da Educação Infantil no Brasil

Olá…

   Estava nas minhas andanças pela net quando me deparei com um ótimo texto sobre “O histórico da educação infantil” e acho que vale muito a pena compartilhar e como eu gosto de fazer isso, acho válido trabalhar até como tema de formação, mas de forma fragmentada para esmiuçar bem o tema, pois é muito rico.

   Outra coisa é que pode ser muito utilizado em pesquisas de trabalhos acadêmicos e até mesmo em concursos, então leiam atentamente, reflitam sobre a leitura e internalizem como curiosidade e um conhecimento histórico à mais para um bom profissional, bem informado que somos, não?

   Borá lá?! Ler um pouquinho?


O HISTÓRICO DA EDUCAÇÃO INFANTIL NO BRASIL

                                                  Por Angela da Silva Soares

roda dos expostos

A história da Educação Infantil no Brasil, de certa forma, acompanha os parâmetros mundiais, com suas características próprias, acentuada por forte assistencialismo e improviso. As crianças da área urbana eram colocadas nas “rodas expostas” para serem recolhidas pelas instituições religiosas, muitas dessas crianças eram de mães que pertenciam às famílias tradicionais.

asiloNo início do século XIX, para tentar resolver o problema da infância, surgem iniciativas isoladas, como a criação de creches, asilos e internatos, que eram vistos como instituições destinadas a cuidar de crianças pobres. Estas instituições apenas encobriam o problema e não tinham a capacidade de buscar transformações mais profundas na realidade social dessas crianças.

No final do século XIX, com o ideário liberal, inicia-se um projeto de construção de uma nação moderna. A elite do país assimila os preceitos educacionais do Movimento das Escolas Novas, elaboradas nos centros de transformações sociais  ocorridas na Europa e trazidas ao Brasil pela influência americana e européia. Surge no Brasil a idéia de “jardim-de-infância” que foi recebida com muito entusiasmo por alguns setores sociais, mas gerou muito discussão, pois a elite não queria que o poder público não se responsabilizasse pelo atendimento às crianças carentes. Com toda polêmica, em 1875 no Rio de Janeiro e em 1877 em São Paulo, eram criados os primeiros jardins-de-infância, de caráter privado, direcionados para crianças da classe alta, e desenvolviam uma programação pedagógica inspirada em Froebel (OLIVEIRA, 2002).

1908-ciranda-no-jardim-da-infc3a2ncia-da-escola-normal-apesp.jpg

Na metade do século XX, com a crescente industrialização e urbanização do país, a mulher começa a ter uma maior inserção no mercado de trabalho, o que provoca um aumento pelas instituições que tomam conta de crianças pequenas. Começa a se delinear um atendimento com forte caráter assistencialista.

Escola.moderna.1.1913

Nos anos 70, o Brasil absorve as teorias desenvolvidas nos Estados Unidos e na Europa, que sustentavam que as crianças das camadas sociais mais pobres sofriam de “privação cultural” e eram colocadas para explicar o fracasso escolar delas, esta concepção vai direcionar por muito tempo a Educação Infantil, enraizando uma visão assistencialista e compensatória, como afirma Oliveira: conceitos como carência e marginalização cultural e educação compensatória foram então adotados, sem que houvesse uma reflexão crítica mais profunda sobre as raízes estruturais dos problemas sociais. Isso passou a influir também nas decisões de políticas de Educação Infantil (OLIVEIRA, 2002:109).

turma1952

Dessa forma, pode-se observar a origem do atendimento fragmentado que ainda faz parte da Educação Infantil destinada às crianças carentes, uma educação voltada para suprir supostas “carências”, é uma educação que leva em consideração a criança pobre como um ser capaz, como alguém que não responderá aos estímulos dados pela escola.

Cinderela SV 1980

 

Nos anos 80, com o processo de abertura política, houve pressão por parte das camadas populares para a ampliação do acesso à escola. A educação da criança pequena passa a ser reivindicada como um dever do Estado, que até então não havia se comprometido legalmente com essa função. Em 1888, devido à grande pressão dos movimentos feministas e dos movimentos sociais, a Constituição reconhece a educação em creches e pré-escolas como um direito da criança e um dever do Estado.

Nos anos 90, ocorreu uma ampliação sobre a concepção de criança. Agora procura-se entender a criança como um ser sócio-histórico, onde a aprendizagem se dá pelas interações entre a criança e seu entorno social. Essa perspectiva sócio-interacionista tem como principal teórico Vygotsky, que enfatiza a criança como sujeito social, que faz parte de uma cultura concreta (OLIVEIRA,2002).

Há um fortalecimento da nova concepção de infância, garantindo em lei os direitos da criança enquanto cidadã. Cria-se o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente); a nova LDB, Lei nº9394/96, incorpora a Educação Infantil como primeiro nível da Educação Básica, e formaliza a municipalização dessa etapa de ensino.

Em 1998, é criado RCNEI (Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil), um documento que procura nortear o trabalho realizado com crianças de 0 à 6 anos de idade. Ele representa um avanço na busca de se estruturar melhor o papel da Educação Infantil, trazendo uma proposta que integra o cuidar e o educar, o que é hoje um dos maiores desafios da Educação Infantil. É preciso afirmar que as propostas trazidas pelo RCNEI só podem se concretizar na medida em que todos os envolvidos no processo busquem a efetiva implantação das novas propostas, se não ele vai se tornar apenas um conjunto de normas que não saem do papel.

Texto Completo

Fonte: Todas as imagens foram extraídas de pesquisas pelo Google.

Abraços

&

BeiJinhos da Lau

 

Série: Adaptação Escolar

Projeto e Planejamento de Adaptação – 2018

planejamento
Fonte: Google

Olá…

Tchanãaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa… Quero saber uma coisinha?

   Se sua resposta foi “SIM” Parabéns! Mas se não… não se desespere, estamos aqui pra te dar uma forcinha, saiba que no final tudo dará certo!

   Vale ressaltar o quão importante é planejar ( antecipar, organizar) tudo, pois temos que contar também com fatores externos dentro da adaptação e nunca deixar as coisas para última hora, quase sempre não dá certo.

   E neste período de adaptação, que os “veterano”s já adaptados, podem regredir um pouco, requerendo atenção que estará na maior parte voltada para os novatos, que estão chorando e dando um pouco mais de trabalho por estar estranhando o espaço, as outras crianças, os profissionais da unidade, por estarem longe de casa, dos pais, de seus pertences… enfim é muita coisa pra uma criança, principalmente se ela for muito pequena.

   Portanto o projeto e as atividades planejadas prontas, deixa o professor mais livre e dá condição para que ele possa ter mais observação e atenção do que esta acontecendo com cada um.

   Lembrando que não é receitinha de bolo, o que acontece são anos de prática com erros e acertos, ajustando, modificando um projeto e atividades para que pudessem atender as crianças da melhor maneira possível, e claro flexibilidade sempre, afinal ninguém é igual a ninguém.

    Sem mais delongas… vamos ao início, como fazer um projeto de adaptação escolar?

   Primeiro de tudo é o conhecer da nova turma ( que esta no post anterior CLIQUE AQUI), eu acredito que pra facilitar o planejamento das atividades, deve-se fechar um tema ou utilizar um livro como base norteadora.

o-homem-que-amava-caixas-1-728Ex.: LIVRO: O homem que amava caixas ( este será minha base) e com ele vou planejar utilizando a história, as personagens, objetos, moral para montar o planejamento diário do projeto da minha sala e o legal de tudo é que as crianças vão pegar e interagir com a história de um jeito, por conta das das brincadeiras e atividades que naturalmente eles estarão contando, recontando e citando características  de uma forma geral e detalhada.


( EM ADAPTAÇÃO NÃO RECOMENDO QUE UTILIZE ESTE LIVRO, utilizei somente para exemplo)… Essa dica serve para qualquer livro e projeto ( mas conheça a história primeiro, para fazer essa avaliação se servirá ou não), isso vai depender do que queira trabalhar e a época de trabalho ( dia das mães, pais, natal, limites, alimentação, volta as aulas…)


   As atividades podem ser bem dinâmicas, isso vai depender do professor, mas tenho uma dica, neste momento procure ousar mais com sua criatividade, tem que ser algo diferente, atraente e muito prazeroso para as crianças e para os docentes também.

   Voltando ao exemplo do livro: Um elemento forte dentro dele? São “AS CAIXAS”, então vamos fazer várias atividades envolvendo-as:

  • Empilha mais caixas;
  • Labirinto;
  • Montar bonecos;
  • Gincana;
  • Construir algum objeto ou elemento do livro com o grupo;
  • Decoração;
  • Dramatização da história do livro pelas crianças;

   Como diria Thiaguinho na música ” …ousadia e alegria”… afinal é um novo ano, lindo “NOVINHO” em folha pra você escrever a sua história com a sua turma, cheias de desafios, metas, alegrias, coisas muito boas e outras nem tanto, mas vale lembrar que tudo é aprendizagem é fortalecimento é crescimento!

Dúvidas… só mandar perguntinhas que terei o prazer em responder!

Abraços

&

BeiJinhos da Lau

Série: Adaptação Escolar

1ª Reunião Pedagógica do ano

ccmscrap4a

Olá…

    A volta ao trabalho sempre no primeiro dia é um frissom, não é? Muitas novidades pra compartilhar, ideias, expectativas, enfim… Adrenalina à 1000… mas é um dia ou semana  de muito trabalho para deixar tudo organizado para o retorno das crianças.

   O início com certeza deve ser algo mais informal, uma conversa pra quebrar o gelo, uma atividade mais dinâmica ou algo para sensibilizar, isso vai depender de como a equipe gestora quer conduzir.

   Passado o primeiro momento é interessante que haja uma pauta para ser seguida do que fazer:

Vamos a pauta:

  • Aquecimento/ Sensibilização/ Café…
  • Equipe Gestora ( é importante que possam falar sobre as expectativas para o ano, os objetivos que almejam, motivar e incentivar de forma positiva toda a equipe). Lembrem-se a equipe de colaboradores é reflexo da gestão;
  • Organização da sala ( ai é algo muito pessoal, vai de professor para professor);
  • Estudo da turma; ( momento em que os professores, conhecerão seus futuros alunos através das avaliações ou registros de matrículas e/ou conversa com as professoras do ano anterior. É óbvio que isso é uma prática superficial, mas que já dá uma ideia de quem é a criança);
  • Neste segundo momento, já com o conhecimento prévio dos alunos que irão atender, construir o projeto de adaptação e o planejamento;
  • Organizar e preparar todo material que será utilizado, isso inclui tudo, como cortar, separar, nomear ( ganha-se um tempo precioso quando essas pequenas coisas já tem sido adiantadas)

     Só quero ressaltar que essa é uma lista de dicas e que cada profissional pode fazer a sua de acordo com as necessidades e o tempo disponível, porque nem todo mundo tem 1 semana ou dias para preparar tudo, não é mesmo?

   Dica: Se puderem fazer toda essa organização ao final, faz uma diferença muito grande, pois já estarão com mais de meio caminho andado e no retorno ao trabalho, vai ser muito mais light e irão ter tempo de revisar tudo!

  Lembrando que são experiências das quais passei durante os anos que venho trabalhando com educação, com muitos erros e acertos e flexibilidade sempre para modificar e adaptar o que é necessário.

   Espero ter ajudado! Se tiverem algum dúvida, pode deixar uma mensagem nos comentários.

Abraços

&

BeiJinhos da Lau

dica · Filme/Documentário · Passeio Cultural

Extraordinário (o Filme)

Olá…

   Um diquinha super bacana e emocionante para ver no fim de semana, nas férias! Humm é de um filme que esta em cartaz atualmente na maioria das salas no país, “EXTRAORDINÁRIO”, inspirado no best-seller ” Wonder” de Raquel Jaramillo, sob o pseudônimo R. J. Palacio.

   É um lindo filme, como a maioria já sabe ou já deve ter visto algo e já sabe do que se trata a história de fatos reais sobre a vida de Auggie Pullman que tem uma deformidadefacial causada pela Síndrome de Treacher Collins.

   Existem também outros conflitos secundários, como: bullying ( prestem bem atenção neste momento) relacionamento entre pais e filhos (sentimentos, emoções) amizade (carinho, verdade, aceitação), sonhos, coragem… e nos leva a uma reflexão sobre a vida, o cotidiano, a importância e atenção que damos as coisas, as relacionamentos.

  Este é um filme pra sensibilizar, dá pra trabalhar pedagogicamente falando este filme?

   Sim e como, mas este fica para um próximo post, pois dá pra destrinchar bem e fazer um ótimo trabalho principalmente em Reunião com professores.

   É difícil dar dicas de algo bacana que gostamos, para não dar SPOILER, a ansiedade é tão grande para compartilhar que acaba acontecendo… (rsss) Tomei cuidado para não acontecer isso, pois tem pessoas que não gostam e também deixar um clima de mistério no ar, não é mesmo?

   Fica a dica ai, pra hoje! Assistam e curtam!

Abraços

&

BeiJinhos da Lau